quinta-feira, 31 de março de 2011

Ausência

Postado por Cláudia Figueiredo às 15:03 2 comentários

Sou a presente ausência que te acompanha

E por mais que me negues, ouço teu silêncio me chamar...

No vazio dos teus braços, me coloco invisível roçando teu corpo

Que estremece em contato com o nada que é tudo que a distância pode te dar

Imagino teu sorriso ao lembrar dos carinhos

Provocações, tentações em que te fiz delirar

Excitado, me sente colada, grudada e enlaçada

Num só corpo a arrepiar

Na mistura dos perfumes

Lembra do meu cheiro e do gosto que te fazia sonhar

Sorri ao lembrar da mulher atrevida, safada, bandida

Que te fez mais menino com fome de amar...

Sou a presente ausência que te acompanha

Mesmo lutando contra o desejo de lembrar

E por mais que me negues

Escuto em meus sonhos

Você me chamar...

Cláudia Figueiredo

Aprendendo com os anjos

Postado por Cláudia Figueiredo às 06:37 3 comentários

Amigos,

Resolvi compartilhar o texto que segue abaixo desta introdução, porque é realmente lindo. Às vezes queremos ser a palmatória do mundo, ditar regras, dar lições de moral, magoar pessoas e alguns, creio, que nem se tocam do quanto podem ser ofensivos e destrutivos até mesmo em pequenas atitudes. Sentimentos são muito delicados. São tesouros que devemos proteger a sete chaves. Os nossos e dos outros. Todos os dias, nos expomos mesmo que involuntariamente, aos bons e maus sentimentos alheios, à atitudes que são capazes de ferir profundamente e até irreversivelmente.

Que não venhamos a repetir os que assim agem. Vamos quebrar essas correntes e provar que sentimos e agimos diferente. Ontem tive uma experiência desagradável, mas divina, com certeza. Lanchava com meu filho numa confeitaria, ao sair do hospital, onde minha mãe se encontra internada e uma mulher se aproximou de mim pelas costas. Forte, bem vestida, me pediu imperativamente: "Me compre um lanche". A olhei e sinceramente, não me bateu vontade de atendê-la. Disse: "Não tenho grana". Ela me mostrou duas crianças, de uns 4 e 6 anos. Estranho, mas não me comovi. Furiosa, com minha negativa, dirigiu sua boca ao pé do meu ouvido e me lançou várias maldições. Me conhecendo bem, acho que Deus me anestesiou naquele momento. Fiquei inerte. Segundos depois, ela atravessou a rua e começou a escolher roupas numa loja bem em frente. As pessoas que assistiram à cena, me diziam revoltadas: "Se fosse você, dava uma porrada nela. Vai lá e dá um soco!"... Neste momento, bem que me deu vontade, mas eu nada fiz. Fiquei parada e entendi simplesmente, o porque de não ter sentido desejo de ajudá-la. Ela não merecia e nem precisava. Saiu da loja com uma sacola de roupas, que acabou comprando rsrrs. Loucura!!!

Ao chegar em casa, fui colocar sacos de lixo na calçada para serem recolhidos e vi a seguinte cena: Um catador, rasgava bolsas em busca de recicláveis. Já carregava um saco imenso. E acabou encontrando comida. Fiquei atônita, quando ele começou a devorar seu achado. Aí não aguentei. Confesso que bateu muito nojo e gritei: Pára agora de comer isso, que te dou algo para comer. Ele atendeu. Quando lhe entreguei o prometido, me olhou profundamente e disse: Deus te abençoe!

Entendi de pronto, o que Deus quis me dizer: Que devo sempre ouvir meu coração. Seguir minhas intuições. Deus nos protege a todos... Protege nossos sentimentos e até nossas reações. Quando não dei uma "porrada" na pedinte da lanchonete e não respondi às suas pragas, fui na verdade, grandemente abençoada. Não entrei no jogo de satanás. Já pensou, eu rolando pelo chão como uma moleca? rsrs. Polícia? Escândalo? Eca! Nem pensar!!! rsrsrs...

Um anjo testou meu caráter, em menos de uma hora depois, e esse sim, me trouxe a benção que eu precisava. Nunca devemos negar ajuda a quem precisa. Mesmo que essa pessoa não nos peça.

Confesso que sou uma chorona e pouco depois, li uma frase que me e emocionou, no facebook de uma ex-colega de redação e parceira de vários trabalhos de assessoria. Postei aqui. Depois, ela me mandou o texto inteiro. Vale a pena ler. Deus coloca anjos em nossas vidas para nos ensinar, todos os dias. Basta que realmente queiramos aprender e não nos fazer mestres de falsas verdades. Verdades a serem aplicadas a outros, em nossa visão e não a nós mesmos. A humildade e o amor verdadeiro são a chave para a sabedoria, que um dia poderá nos fazer entender sentimentos como a SAUDADE, descrita abaixo.

quarta-feira, 30 de março de 2011

Saudade

Postado por Cláudia Figueiredo às 19:01 1 comentários
"Saudade é o amor que fica..."


Linda frase e traduz exatamente esse sentimento tão complexo, que mistura a alegria solitária de boas lembranças e a dor pelo que não mais existe ou de fato, jamais existiu.

Paciência

Postado por Cláudia Figueiredo às 17:16 0 comentários


Colhendo paciência. Uma flor delicada, cultivada com o adubo da sabedoria, regada com lágrimas de ansiedade e pulverizada com gotas de fé e esperança.

Cláudia Figueiredo

segunda-feira, 28 de março de 2011

Belo presente

Postado por Cláudia Figueiredo às 13:24 3 comentários


Niver chegando e este ano meu presente será o mais lindo de todos. Consigo enxergar novamente o que é realmente BELO...

quinta-feira, 24 de março de 2011

A Hora do Planeta 2011

Postado por Cláudia Figueiredo às 20:18 0 comentários


VAMOS APAGAR AS LUZES PARA VER O MUNDO MELHOR!!!
BJOSSS
CACAU

Legião Urbana - Vento No Litoral

Postado por Cláudia Figueiredo às 19:45 1 comentários


Simplesmente linda! Muito som... 


Vento no Litoral
Renato Russo /Composição: Legião Urbana

De tarde eu quero descansar, chegar ate a praia e ver
Se o vento ainda está forte
E vai ser bom subir nas pedras
Sei que faço isso pra esquecer
Eu deixo a onda me acertar
E o vento vai levando tudo embora

Agora está tão longe
Vê, a linha do horizonte me distrai:
Dos nossos planos é que tenho mais saudade,
Quando olhávamos juntos na mesma direção

quarta-feira, 23 de março de 2011

Você tem medo de dizer eu te amo?

Postado por Cláudia Figueiredo às 19:43 0 comentários

Sem o violeta dos olhos de Lyz

Postado por Cláudia Figueiredo às 09:33 0 comentários

Hoje o meu mundo acordou menos azul. Morre de insuficiência cardíaca, Elizabeth Taylor. A atriz de 79 anos, não sobreviveu a uma cirurgia no coração, no Centro Médico Cedars-Sinai, em Los Angeles. Desde criança, a dona de raros olhos violetas, aprendeu o significado da palavra sucesso.

Menina prodígio, Lyz fez minha alegria na infância, como protagonista de “Lassie”. Também nunca vi Cleópatra mais empolgante. Enfim. Descanse em paz, minha musa!

Um pouco mais sobre Lyz.

Em 2009, a diva já havia passado por uma cirurgia para substituir uma válvula defeituosa no coração e estava presa a uma cadeira de rodas, há mais de cinco anos. Lyz sofria com dores crônicas.

Em 1997, também passou por uma delicada operação para remover um tumor do cérebro e no passado também já teve problemas com o vício em álcool e drogas. Uma das maiores atrizes de Hollywood, ganhadora de dois Oscars, Taylor foi pioneira no desenvolvimento de ações filantrópicas, levantando fundos para as campanhas contra a AIDS a partir dos anos 80, logo após a morte de Rock Hudson. A despeito de ter nascido fora dos EUA, em 2001 recebeu do presidente Bill Clinton, a segunda mais importante medalha de reconhecimento a um cidadão norte-americano: a Presidential Citizens Medal, oferecida pelos seus vários trabalhos filantrópicos. Nessa época se agravaram os problemas de saúde, ganhando peso e sendo levada a internações recorrentes em hospitais. Uma casadoira de carteirinha, Liz subiu ao altar oito vezes numa prova de que nunca deixou de acreditar no amor.

A musa ficou famosa ao estrelar os longas Assim Caminha a Humanidade (1956), Gata em Teto de Zinco Quente (1958), De Repente, No Último Verão (1959) e Cleópatra (1963).
O talento da diva foi reconhecido pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood com dois Oscar. O primeiro foi recebido em 1961 por Disque Butterfield 8. Já a segunda estatueta veio no ano de 1967 pelo filme Quem Tem Medo de Virginia Woolf?.


segunda-feira, 21 de março de 2011

Ainda cedo

Postado por Cláudia Figueiredo às 18:49 4 comentários

Me apaixonei ainda cedo
Por ser cativa em liberdade
Por viagens inimagináveis
Paixões alucinadas...
Me apaixonei ainda cedo
Pela doçura e beleza
Pelo toque de pureza
Ousadia e solidão...
Me apaixonei ainda cedo
Pelo amor que avassala
E enche minh’alma de toda inspiração...
Me apaixonei ainda cedo
Pela dor e o prazer
Por tudo que cria e irradia
Minha livre expressão...
Me apaixonei ainda cedo
Pelo sol e pela lua
Por lembranças de lugares
Flores e mares gravados em olhares...
Me apaixonei ainda cedo
Por ela, a poesia
Que faz da realidade fantasia
E em sua loucura em mim cria
O desejo de por ela navegar...
Me apaixonei ainda cedo
Pelo vento no cabelo
Pés descalços e o desejo de com ela sempre estar...
Me apaixonei ainda cedo
Pelo lirismo e pela dor
Pelo desejo e amor
Que no meu peito ainda cedo
Vieram morar...

Cláudia Figueiredo

sexta-feira, 18 de março de 2011

Pessoas são inesquecíveis

Postado por Cláudia Figueiredo às 07:46 0 comentários
Se engana quem pensa que se pode apagar pessoas, como se fossem frases mal escritas no livro de suas vidas. Por mais que se passe a borracha e as palavras desapareçam, ficarão ainda as marcas da história que ali se escreveu.

Daí, pode-se escrever por cima do que se apagou ou continuar usando-se novas linhas. A decisão é individual, porém em nenhuma das duas opções, o que foi escrito se apagará da memória.

Cláudia Figueiredo

quinta-feira, 17 de março de 2011

Sinto

Postado por Cláudia Figueiredo às 07:08 3 comentários


Hoje senti sua falta

Nossa cama estava vazia

Faltou aquele bom dia

Abraços, amassos, carinhos

Faltou nosso café regado a beijinhos

Nossas mãos entrelaçadas

Olhares apaixonados

Planos para o dia

Hoje senti sua falta

Ao caminhar por nossos lugares

Senti falta de sua mão

Seu calor

E me perguntei:

Porque sinto saudade?

E me veio a resposta

Só sente saudade

Quem amou de verdade...

Cláudia Figueiredo

quarta-feira, 16 de março de 2011

Eclesiastes 3

Postado por Cláudia Figueiredo às 20:27 0 comentários

Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.

Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou;

Tempo de matar, e tempo de curar; tempo de derrubar, e tempo de edificar;

Tempo de chorar, e tempo de rir; tempo de prantear, e tempo de dançar;

Tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar, e tempo de afastar-se de abraçar;

Tempo de buscar, e tempo de perder; tempo de guardar, e tempo de lançar fora;

Tempo de rasgar, e tempo de coser; tempo de estar calado, e tempo de falar;

Tempo de amar, e tempo de odiar; tempo de guerra, e tempo de paz.

Que proveito tem o trabalhador naquilo em que trabalha?

Tenho visto o trabalho que Deus deu aos filhos dos homens, para com ele os exercitar.

Tudo fez formoso em seu tempo; também pôs o mundo no coração do homem, sem que este possa descobrir a obra que Deus fez desde o princípio até ao fim.

Mensagem do dia

Postado por Cláudia Figueiredo às 06:18 0 comentários

"As vezes é preciso uma decepção, para aprendermos que a vida não é feita apenas de alegria, e sim de tentativas." (Miedson Fernandes)

terça-feira, 15 de março de 2011

Bom é ser assim...

Postado por Cláudia Figueiredo às 17:19 2 comentários

Bom é ser assim...

Leve como pluma


Transparente como taça de fino cristal

Ter os olhos voltados para o céu

Pés grudados no chão

Bom é não ter segredos, e sim mistérios

É viver um dia de cada vez, e não projetar acertos ou fracassos futuros

Bom é não perder a alegria, apesar das tristezas

É ser digna de todas as bençãos que me chegam às mãos

Bom é ter de verdade, um coração.

Bom é ser assim...

Nada a esconder

Tudo a mostrar,

Ter o que dar

segunda-feira, 14 de março de 2011

Meta

Postado por Cláudia Figueiredo às 10:29 0 comentários
Minha meta hoje é ser feliz demais, porque mereço e muito.

sexta-feira, 11 de março de 2011

Menina nua

Postado por Cláudia Figueiredo às 14:15 1 comentários
Uma menina corria na rua nua

Sem chinelos nos pés

Nem fitas nos cabelos cortados curtos

Ela corria, corria e ninguém a via

Buscava a mãe que partia...

Mas o desamor era tão grande

Que nem piedade da filha sentia

Seu coração de pedra não doía

E ela mandava a menina voltar...

Incessantes apelos, choro e soluços

E uma mão agarrada ao pulso

Fez a cruel olhar

Irritada com tanto barulho, decide voltar, a menina arrumar

E consigo levar

Mas tantas vezes fez a mesma cena a menina protagonizar...

quinta-feira, 10 de março de 2011

Crítica/ As melhores trilhas sonoras do Oscar 2011

Postado por Cláudia Figueiredo às 11:59 2 comentários
Amigos,

Como sempre digo aqui, meu blog é território de livre expressão para profissionais das mais diversas áreas, que venham a somar em conhecimento com todos nós. Desta vez, quem colabora comigo é Gito Sales, meu amigo de longa data. Tive a oportunidade de conhecê-lo, quando se sagrou vencedor do Prêmio Sharp, com a Banda Fantasmas. Instrumentista (gutarrista e violonista), cantor, arranjador, compositor, professor, produtor e diretor musical; filho do compositor, cantor e instrumentista Herberto Filho; e neto do escritor e acadêmico Herberto Sales (1917-1999) foi autodidata, morou em Paris, onde estudou harmonia funcional, tocou no metrô e fez projetos para o avô, para quem atuou como consultor. Também deu consultoria musical à direção da TV Bandeirantes-Rio.

Para nós, Gito escreveu uma análise sobre as trilhas sonoras indicadas para o Oscar 2011. Vale a pena conferir.
Bjos a todos !!!
Cacau

Melhor Canção Original

Quatro canções concorreram ao título de melhor canção original da Academia este ano.
"Coming Home" - Country Strong
"I See the Light" - Enrolados
"If I Rise" - 127 Horas
 "We Belong Together" - Toy Story 3

A vencedora na categoria foi We Belong Together, de Toy Story 3. O compositor Randy Newman, que já teve 20 indicações e ganhou seu primeiro Oscar em 2002, por Monstros S.A subiu ao palco pela segunda vez para receber a estatueta. Ele agradeceu a Pixar e comentou que já foi indicado algumas vezes ao Oscar. "A Academia foi incrivelmente gentil em me dar esse prêmio. Muito obrigado", finalizou.
Analisei cuidadosamente as candidatas à “Melhor canção original”. Todas muito bem elaboradas e criativas. Seus compositores foram diretos, cada um com seu ponto de vista:

terça-feira, 8 de março de 2011

Migalhas

Postado por Cláudia Figueiredo às 17:59 4 comentários
Letra de Cláudia Figueiredo para o CD "Esse é Pra Você"

Quando páro e penso no tempo perdido
Desespero e decido te esquecer
Só que nunca acho um jeito
De te deixar no passado
E apagar as pegadas no nada
Que eu mesma criei

Bem, meu bem, se é você que não vem (Refrão)
Por que me alimentar com as migalhas desse teu olhar? 

Por ter me esquecido na esperança de te ter (Bis)
Não consegui ser nada pra você

You now, for fear of  losing your love
With so many illusions inside my heart
I couldn't be anything to you!

Na tempestade em que eu fiquei na rua
Um abrigo encontrei no seu olhar
Mas você é como o vento
Vai embora e leva a chuva
Me deixando na estrada
Vazia sem ninguém...



Escreve-me...

Postado por Cláudia Figueiredo às 05:46 0 comentários
"Escreve-me! Ainda que seja só
Uma palavra, uma palavra apenas,
Suave como o teu nome e casta
...Como um perfume casto d’açucenas!

Escreve-me! Há tanto, há tanto tempo
Que te não vejo, amor! Meu coração
Morreu já, e no mundo aos pobres mortos
Ninguém nega uma frase d’oração!

“Amo-te!” Cinco letras pequeninas,
Folhas leves e tenras de bonitas,
Um poema d’amor e felicidade!

Não queres mandar-me esta palavra apenas?
Olha, manda então… brandas… serenas…
Cinco pétalas roxas de saudade…" (Florbela Espanca)
 

segunda-feira, 7 de março de 2011

Ser mulher

Postado por Cláudia Figueiredo às 19:01 1 comentários

Ser mulher é não perder a esperança
Como criança
Que sonha com a imensidão... (Cláudia Figueiredo)

Amar pra viver

Postado por Cláudia Figueiredo às 17:52 2 comentários
Santa
Profana
Louca

Menina
Mulher, o que vc quer?
Não gosto de rótulos
Junto destroços
Minha alegria é viver
Se me pegar de jeito
Não procure defeito
Me dou inteira pra você
De frágil à leoa
Não se irrite à toa, com meu jeito de ser
Se quer na verdade, uma louca selvagem
Aposte e pague, se não vai me perder
Se tem medo da briga e
Prefere a saída
Um beijo de adeus...
Lamento e desligo
Não sigo contigo
Vou sobreviver...
Não busco a calma
Quero de corpo e alma
Amar pra viver...

(Cláudia Figueiredo)

Paixão

Postado por Cláudia Figueiredo às 15:46 0 comentários
"Ninguém se apaixona por escolha, mas por acaso. Ninguém permanece apaixonado por acaso, é um esforço diário. E ninguém se desapaixona por acaso, é um escolha".
 

Cláudia Figueiredo Copyright © 2010 Designed by Ipietoon Blogger Template | templates gratis Vector by Artshare